Irmãos Tormen, de Balneário Camboriú, produzem design autoral que definem como “design para viver”
·

Irmãos Tormen, de Balneário Camboriú, produzem design autoral que definem como “design para viver”

Os irmãos Patrick e Dennys Tormen criam e manufaturam objetos e mobiliários tanto de forma independente quanto em parceria com fornecedores externos, combinando processos artesanais e industriais de forma autoral. Dennys é designer industrial e Patrick engenheiro ambiental, ambos formados pela Univalli. O Studio T44 ganhou forma, na configuração atual, desde 2014. Deixou a garagem de uma casa para ampliar não apenas o espaço físico e profissionalizar processo e produção, mas dar asas ainda maiores para a recente trajetória, onde já consta a participação na Brazil S/A em Milão. E este ele eles estão novamente na MADE, durante a Design Weekend, em São Paulo.

“As peças dos irmãos Tormen têm muita personalidade e ao mesmo tempo sabem dialogar com a nossa época. Geometrizadas e limpas, ficam perfeitas nos mais variados ambientes”, afirma Matheus Ximenes Pinho, sócio fundador e curador da MUMA, loja online de design autoral que traz a assinatura de profissionais emergentes e consagrados do mundo todo e tem em seu portfólio seleção de peças do estúdio.

Acompanhe nosso bate-papo relâmpago com a dupla.

 DENNYS E PATRICK TORMEN - T44 - MUMA

Como começou o estúdio e a criação em design de produto?

 Dennys – Eu desenvolvia um trabalho experimental mais autoral desde 2008. Neste ano, ainda acadêmico, recebi o Premio Arquitetando da Docol e fui finalista no concurso da Tok&Stok. Na época o Patrick trabalhava na construção civil administrando obras, e eu prestava serviços como designer. Havia a vontade de materializar alguns destes projetos, e o primeiro que tiramos juntos do papel foi o banco A4, em meados de 2010.

_MG_5359a

Fomos selecionados para uma exposição de jovens designers em Paris chamada Meet my project. Depois disso apresentei uma linha de luminárias em uma exposição chamada Design House, que aconteceu durante a Design Weekend em São Paulo. O curador Bruno Simões viu e me convidou para a segunda edição da MADE –  Mercado Arte Design. Nessa época, o Patrick tinha voltado de uma temporada na Austrália, e me ajudou na produção das peças para a feira. Depois também veio o convite para a Brazil S/A em Milão.

Em meio a isso surgiu nossa parceria profissional e o T44 studio propriamente dito, onde buscamos desenvolver a nossa visão de design dentro de um processo de trabalho que acreditamos. No início trabalhávamos na garagem de uma casa que alugamos, e onde também funcionava um espaço de trabalho compartilhado. Em 2015 mudamos o estúdio para um galpão maior e investimos em novos processos e na melhoria da produção própria. Todas estas experiências tem sido um grande aprendizado, e aos poucos vamos direcionando e amadurecendo nosso trabalho.

 

Qual o conceito que norteia o trabalho de vocês?

Acho que é o equilíbrio. Queremos resolver problemas, não só os práticos aos quais nossos produtos se propõe, mas de uma maneira mais holística, estar ciente de toda cadeia onde o produto se insere e do nosso papel dentro disso tudo. Usamos o design como ferramenta para orientar o processo. O T44 é um pequeno laboratório e nasceu da vontade de colocar em prática nossa visão de design e negócio. 

 

Como acontece o processo de criação e o desenvolvimento dos produtos?

Este processo está em constante adaptação, e não é linear. O conceito de slow design ilustra um pouco como trabalhamos, mas não seguimos nenhum dogma e buscamos adaptar nosso processo para nossa realidade e mercado. Alguns produtos são produzidos em pequenos lotes, e outros somente quando encomendados, como a luminária C30, também vendida na Muma. Terceirizamos alguns processos, como corte a plasma e dobra de chapas, repuxo e tratamentos de superfície em metais. Hoje o Patrick fica mais responsável pela produção das peças e eu pelo desenvolvimento dos produtos e parte comercial.

 

Quais as formas de venda da produção?

Optamos por trabalhar com foco no e-commerce porque assim conseguimos atingir nosso público no Brasil inteiro produzindo aqui em Balneário. A Muma foi a primeira loja que começamos a trabalhar, e isso foi fundamental pra gente estabelecer e evoluir nosso negócio. Além da ótima curadoria dos produtos, a Muma tem uma visão atual do mercado e entende a realidade da produção de design independente. Também participamos de alguns eventos e feiras. 

Sobre a MUMMA

A MUMA, loja online de design autoral, traz a assinatura de profissionais emergentes e consagrados do mundo todo. A marca valoriza o criador e aposta em mais de cinco mil produtos, entre móveis, utensílios domésticos e de decoração, desenvolvidos por artistas como Edu Bertolai, Humberto da Mata, Natasha Schlobach e Erika Kövesdi, Allan Wisniewski, entre outros nomes de peso. Nasceu da vontade de levar o melhor do design de móveis e acessórios de decoração para Recife. Vendo muitos clientes buscando móveis em São Paulo e até em Miami, o arquiteto Matheus Ximenes Pinho resolveu abrir em 2014 um e-commerce que pudesse, a princípio, atender a região Nordeste e hoje atua em todo o Brasil.

A curadoria é realizada por uma equipe especializada de arquitetos e designers comandada por Matheus Ximenes Pinho, que avalia as propostas de designers, sempre levando em conta a qualidade da fabricação e o perfil da MUMA.