CASACOR  lança Guia das Artes, publicação que mapeia as principais obras de arte da edição paulistana
·

CASACOR lança Guia das Artes, publicação que mapeia as principais obras de arte da edição paulistana

O projeto, inédito na CASACOR, tem como objetivo atender as diversas solicitações do público que tem, cada vez mais, procurado ampliar seus conhecimentos em relação a produção artística nacional. Além disso, a mostra, nos últimos anos, tem se consolidado como um dos principais eventos culturais da cidade de São Paulo. E isso, se deve não apenas pela excelência dos projetos apresentados, mas também pela memorável escolha das obras de arte apresentadas pelo elenco de profissionais.

O Guia das Artes CASACOR é uma publicação que mapeia as principais obras de arte da edição paulistana. Em formato “pocket”, o breve roteiro irá ampliar a experiência dos visitantes com informações indispensáveis sobre os artistas e suas obras na composição dos ambientes, e poderá ser adquirido na mostra. Nomes consagrados e jovens talentos estarão nesta publicação assim como seus respectivos galeristas. Confira alguns dos destaques:

Presença marcante nas concepções de Marina Linhares, as obras de arte contemporânea presentes no espaço Casa da Praia Decortiles foram escolhidas minuciosamente pela designer, que se aprofunda em pesquisas e garimpos em galerias em busca de artistas que dialogam diretamente com o projeto. São telas, fotografias e esculturas que refletem o gosto apurado e sensível da profissional, trazendo o toque de personalidade para a proposta. Entre as escolhas da designer, obras de Leda Catunda, Nicolás Bacal, Chiara Banfi, Marcelo Moscheta, Wolfram Ullrich.

O estilo despojado dita a decoração do Flat, dos profissionais Fábio Bouilet e Rodrigo Jorge, da Artis Design+. Sobre o painel de madeira do living, fotografias de Gabriel Wickbold se destacam no ambiente sóbrio e minimalista. Na estante há também obras de Denise Milan, Ivald Granato e Florian Raiss. Compondo o corredor que leva aos ambientes cozinha e suíte, a escultura de Luiz Hermano surpreende com seus materiais metálicos que formam uma espécie de rede pontiaguda.

Na contramão destes movimentos, o Estúdio Bossa, assinado pelo arquiteto Marlon Gama, tem um olhar vanguardista sem estar inserido numa época determinada como a década de 60, quando esse também conhecido “estilo musical” surgiu. Ele é influenciado por um trabalho atemporal, limpo, elegante e despretensioso segundo seu criador. O espaço, de 40m² de área interna a 35m² de área externa, conta com dez obras da Galeria Paulo Darzé, uma das mais importantes galerias de Salvador.

Para compor o ambiente Estar Refletido com arte, Sandra Picciotto contou com a curadoria de Ana Claudia Roso, que fez uma seleção de obras assinadas por artistas renomados. Destes, Odetto Guersoni com escultura e gravuras do antiquário vintage Filter, Antonio Ferreira Junior, Gilberto Salvador, Luiz Hermano, Luiz Paulo Baravelli, Jamison Pedra e Marcello Nietsche. As telas, quadros e esculturas foram colocados simetricamente alinhando desenhos, cores e estilos artísticos. O living ganhou ainda uma coleção de vasos da Orbi. Em uma parede solitária a aquarela espelho Luiz Paulo Bavarelli, reina sozinho.

Em um pout pourri de obras, o ambiente do Maurício Karam, o Lounge dos Lofts, conta com peças que são significativas tanto pelo valor artístico, como pelo reconhecimento de mercado de seus autores. Obras inéditas entre os ambientes da mostra, agregam ao conceito da composição do espaço. São elas: fotografia Purple Sky, de Beatrice Hug; escultura em formato de mala de Luiz Philippe Carneiro, revestida de azulejos cerâmicos da década de 50; escultura de rinoceronte em bronze de Sonia Ebling e fotografia “O Homem e a Pedra”, de Eduardo Rezende.

A Sala de Jantar, de Toninho Noronha, conta com esculturas em madeira do artista Luiz Osvaldo Gaia, mini escultura de nadadoras chinesas em porcelana e pintura em ouro, da artista plástica Sonia Menna Barreto. A composição do roteiro de artes conta ainda com quadros da série Anfíbios, da artista carioca Daisy Xavier, que são fotografias produzidas em metacrilato. Já as arquitetas Paula Giannetti e Natália Marchione, da NP Arquitetura utilizaram-se de uma escultura de Julio Le Parc, famoso por suas obras de arte cinética, para dar movimento ao Hall de Entrada. Destaque ainda para a Casa Cosmos, de Michel Safatle, que tem em seu espaço duas esculturas produzidas por Tarsila do Amaral.

A CASACOR São Paulo fica aberta ao público até o dia 23 de julho e funciona de terça a domingo, das 12h às 21h.

Guia das Artes: R$ 10

SERVIÇO

Período: de 23 de maio a 23 de julho

Horário: Terça a domingo, das 12h às 21h

Local: Jockey Club de São Paulo

Endereço: Avenida Lineu de Paula Machado, nº 1075 – Cidade Jardim